07
fev

Resenha: Perdão, Leonard Peacock


O livro não é lançamento e a ideia do blog também não é resenhar lançamentos. Aqui o foco é: livros que interessam. Apesar do título não ser tão convidativo, ao ler a sinopse da contracapa já aguça a nossa curiosidade (ainda mais se você gosta de frases de impacto). Pesquisei algumas resenhas na blogosfera literária, mas nenhuma delas abordou a complexidade da história, motivo que me levou a resenhá-la  aqui.

A história gira em torno do garoto Leonard, que planeja matar seu ex-melhor amigo, Asher Beal e imediatamente após, cometer suicídio no dia de seu aniversário. No decorrer das páginas, confrontamo-nos com os motivos que Leonard tem para arquitetar esse plano, o que nos faz formar opiniões diversas. Ora você o acha um moleque egoísta, ora você o compreende. Ele faz questão de explicar o que pensa – ponto positivo para o autor – e aí vem aquela coisa toda de você se pôr no lugar dele enquanto acompanha os acontecimentos.

Durante o dia do seu aniversário, antes de executar seu plano, Leonard quer deixar sua marca. Ele vai ao encontro de pessoas importantes na vida dele e as presenteia. Temos o vizinho dele, Walt, um senhor idoso que assiste filmes estrelados por Bogart todos os dias com Leonard, e conversam entre si trocando citações dos filmes; Baback, amigo de Leonard que toca violino, cuja música ele ouve todos os dias; Lauren Rose, garota cristã devotadíssima por quem Leonard se apaixona; e o professor de história, Herr Silvermann, que tem um papel muito bacana na vida do garoto.

Bogart e suas ironias. (Filme de 1946)

Bogart e suas ironias. (Filme de 1946)

Há também Linda, mãe de Leonard, uma pessoa extremamente distante da realidade do filho, egocêntrica e mesquinha, que, justamente por esses motivos, não ganha presente do filho.

Pra você ter uma ideia, a vida de Leonard é tão miserável que ele escreveu “cartas do futuro”, indicadas pelo seu professor de história (para melhorar a sua depressão), as quais dizem que ele será uma pessoa feliz, casado e com uma filha; além disso, ele se vestia como adulto e seguia pessoas para saber se valeria a pena chegar até essa fase da vida. Porque as pessoas pareciam muito infelizes, segundo ele.

Pra quem gosta de psicologia, gosta de entender os motivos pelos quais as pessoas sentem vontade de morrer e matar quem, de certa forma, causou traumas em suas vidas, é uma leitura recheada de informação e emoção. Muitas vezes nos pegamos tendo os mesmos pensamentos de Leonard e realmente “encarnando” o personagem. Agora, se você quer saber se ele termina seu plano ou não, vale a leitura. Leonard é o tipo de garoto por quem facilmente você cria empatia e sente muita vontade de ouvi-lo. Quick narrou com excelência as angústias de um adolescente que se vê sozinho e sem motivos reais a se apegar para viver.

Contracapa Leonard

Há rumores de que sairá um filme inspirado no livro, estrelado por Channing Tattum. Se for confirmado, a escolha não foi muito feliz, visto que estamos acostumados a vê-lo atuando em filmes românticos ou de ação. Massss, vamos aguardar. Já estou ansiosa! 🙂

Título: Perdão, Leonard, Peacock

Título original: Forgive Me, Leonard Peacock

Autor: Mattew Quick

Ano de Lançamento: 2013

Número de Páginas: 223

Editora: Intrínseca

Preço Médio: R$ 22,00



Mayra