02
set

MEUS HÁBITOS DE LEITURA MUDARAM…


Já fui a louca da livraria. Passava em frente a qualquer uma e era minha obrigação entrar e dar uma olhadinha. O problema era que a olhadinha se transformava em quartos de hora, ou horas cheias mesmo.

Minhas listas de livros aumentavam toda semana. Eu sentia uma necessidade de estar lendo o tempo todo. Levava livro para o banheiro. Ia pagar uma conta, enfiava de qualquer jeito um livro na bolsa… mesmo que não tivesse nem como folheá-lo na rua. Era pela sensação de conforto em saber que ele estava ali, se surgisse uma brechinha de 5 minutos.

Aos poucos, fui diminuindo essas manias. A sede de leitura me fazia perder tempo com livros medianos, ruins, sem histórias marcantes.

 Assim, começou a surgir um questionamento interior: pra quem é que eu estava lendo? Analisei minhas últimas leituras e constatei: dos 5 livros lidos, 4 eu havia odiado.

Depois disso, meu interesse pelos livros diminuiu drasticamente. Abandonei as resenhas, porque nenhuma história estava valendo a pena recomendar. Não comprei mais livros. Não entrei mais em livrarias. Eu sentia falta de depois de assistir o Jornal Nacional, em vez de emendar na novela das 10, ir pra cama mais cedo e ler até a 1 da manhã. Passei a assistir mais novelas e ficar mais tempo no celular. Até que um dia, percebi que eu precisava de novos hábitos de leitura; aquela rotina vazia sem os livros estava afetando minha cabeça de um jeito ruim.

O que mudou?

Parei de precisar acumular pilhas de livros. Estou vendendo os que estão na minha estante. Não comprei mais livros físicos nos últimos 6 meses. Investi mais no Kindle e simplesmente não sinto mais a mínima necessidade de ter um livro físico. O livro digital me ajudou tanto, mas tanto a superar essa fixação em acumular livro físico, que realmente só falta adicionar cores ao dispositivo pra eu nunca mais pensar em guardar espaço em prateleira. Me sinto muito mais liberta depois da chegada do livro digital.

Seleciono melhor minhas leituras. Quero ler clássicos, livros grandes, mais complexos e que me desafiem. Vez ou outra não digo que não vá ler um romancezinho best seller, mas tenho certeza que vou pensar no mínimo 10 vezes antes de adicionar ao carrinho.

Assumi que tenho crises de ansiedade. Vai ter dias que não vou querer nem chegar perto de um livro. Vai ter dias que vou querer ler 3 ao mesmo tempo e não conseguir me concentrar em nenhum. É o caso dos últimos dias… Peguei Ainda Estou Aqui (Marcelo Rubens Paiva – livro físico), desisti na metade para ler o ebook Precisamos Falar Sobre o Kevin (Lionel Shriver) e emendei madrugada passada em Amor Amargo (Jennifer Brown – ebook). Não terminei nenhum, mas a ansiedade faz isso com a gente, só resta ir pro abraço.

Enfim, já não sou nenhuma adolescente frustrada que precisa provar para os outros o quanto é inteligente carregando livros pra lá e pra cá e fazendo stories o tempo todo ostentando a pilha. Não julgo mais quem é assim, mas sei que a maturidade chega para todos assim como chegou para mim aos 26 anos. Estou muito mais feliz agora, sabendo que os livros podem continuar sendo meus melhores companheiros, mas saboreando e assimilando cada palavra, cada página e cada interpretação.

No meu tempo.



Mayra