04
abr

A moda dos livros de colorir e a infantilização dos adultos


Provavelmente você nunca deve ter ouvido falar no termo infantilização dos adultos. Explico: você deve conhecer algum pai de família que diz comprar um videogame de última geração para seu filho, mas que passa finais de semana inteiros grudados no joystick. Você também deve conhecer alguém que não pode ver uma liquidação no shopping que vai correndo gastar até o limite do cartão de crédito, justificando que “comprar faz bem”. O que eu quero dizer com isso, jovens, é que estamos invertendo valores em nossa geração. Não conseguimos lidar com frustração, com problemas que precisam ser resolvidos. Preferimos fugir à realidade, adiar as preocupações e evitar o envolvimento com problemas de “adultos.” Nossas atitudes fazem o que somos, transformam nosso caráter. Que tipo de valores vamos repassar às próximas gerações? Lógico que é mais prazeroso sentar-se num sofá e deixar os problemas resolverem-se por si sós. Mas a vida nos cobra escolhas todos os dias, e ter a consciência de que a vida não é uma brincadeira de casinha deve ser inata a todos nós.

Todas essas voltas dadas, exemplificam minha pequena revolta ao perceber que os adultos estão preferindo, inclusive, comprar livrinho de mandala para colorir. O argumento usado é que é um ótimo antiestresse. Colorir, como fazíamos nos tempos de pré-escola, tornou-se mais uma forma de voltarmos à infância e esquecermos dos problemas diários.

Não condeno quem gosta de pintar, não condeno quem comprou um livro desse. Acho até que são bonitinhos, dá vontade de pintar também (se bem que no meu caso, eu iria ficar mais estressada ainda em ter que pintar tudo bonitinho, escolher a cor e etc… ). Admiro as editoras terem tido essa ideia genial, o marketing é excelente. Mas, fico com pena das pessoas que colorem um livro imaginando colorir as suas vidas também.  Para mim, desestressar é ficar com a família, ler bons livros e meditar (imaginar coisas boas, rezar, refletir, como queiram chamar). Há inúmeras outras formas de desestressar. Ir à academia, visitar amigos, preparar um almoço para a família, fazer uma viagem… ficar preso a um livro de colorir, para mim é a maior bobagem. Mas vende, e deixa as pessoas felizes. Isso basta (ou não?).



Mayra